Museu da Justiça e Emerj vencem 1ª edição do Prêmio CNJ Memória do Poder Judiciário por trabalhos realizados
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 13/05/2022 17:30

Em cerimônia realizada durante o II Encontro Nacional de Memória do Poder Judiciário, organizada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) na cidade de Recife, em Pernambuco, o Museu da Justiça, do Tribunal de Justiça do Estado do Rio, e a Escola da Magistratura do Estado do Rio (Emerj) alcançaram o primeiro lugar do Prêmio CNJ Memória do Poder Judiciário nas duas categorias de que participaram.

O Museu da Justiça venceu a categoria Difusão Cultural e Direitos Humanos, referente às ações voltadas à promoção da cidadania, direitos humanos, cultura, educação, acessibilidade, inclusão, diversidade e sustentabilidade.

O trabalho inscrito foi a Mostra de Documentos Judiciais que apresentou ao público as pandemias e epidemias que recaíram sobre a cidade do Rio de Janeiro e seus principais personagens, com a utilização de imagens de época de diferentes processos judiciais e estatísticas do Poder Judiciário fluminense.

A mostra Pandemias e Epidemias no Rio de Janeiro foi exibida ao lado de um posto de vacinação contra a Covid-19 instalado no Museu, para que as pessoas pudessem visitar antes ou depois de serem vacinadas. Além do contato visual, a equipe de pesquisa do Museu selecionou marchinhas de domínio público datadas do início do século XX, que versam sobre temas como vacinação e combate a doenças para serem tocadas ao fundo como mais um atrativo da exposição.

Já a Emerj ficou em primeiro lugar na categoria Patrimônio Cultural Bibliográfico, com o projeto de digitalização e disponibilização on-line das obras raras do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, uma parceria entre a Biblioteca da Escola da Magistratura e o Museu da Justiça.

Este é o segundo ano do Encontro, que homenageia o Dia da Memória do Poder Judiciário, 10 de maio, e foi a primeira edição do prêmio, que contou com sete categorias.

SF/MB