Com elenco de magistrados, Emerj apresentará peça “Por Elas” no Dia Internacional da Mulher 
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 01/03/2021 15:24

Nos dias 8 e 9 de março, que marcam o Dia Internacional da Mulher e Dia da Promulgação da Lei do Feminicídio, respectivamente, a Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (Emerj) promoverá, às 19h, a exibição da peça teatral “Por Elas”, dos autores  Silvia Monte e Ricardo Leite Lopes. Sob a forma de leitura dramatizada, o espetáculo será uma homenagem à juíza Viviane Vieira do Amaral, vítima de feminicídio em 24 de dezembro de 2020, e a todas as mulheres que morreram em decorrência do mesmo crime. Os ensaios do espetáculo foram remotos e as gravações feitas de modo presencial, no estúdio da Emerj, respeitando os protocolos de distanciamento social em decorrência da pandemia da Covid-19. A transmissão será pelo canal oficial da escola no YouTube. 

A peça teatral aborda a realidade de mulheres brasileiras que sofrem violência na relação com seus parceiros e as dificuldades psíquicas, jurídicas, familiares, sociais e culturais para conseguirem romper com o “ciclo da violência”. A trama tem como objetivo primordial provocar a reflexão e cooperar para a prevenção e o enfrentamento da violência doméstica e do feminicídio na sociedade brasileira. 

Participarão da leitura dramatizada um elenco formado por dez juízes do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), que são: Paula Adorno Cossa, Raquel Gouveia, Renata Lima, Alessandra Aleixo, Rosana França, Silvana Antunes, Simone Lopes da Costa, Claudio Anuzza, Renato Charnaux Sertã e Ricardo Andrade, além do desembargador Claudio Dell’Orto. 

A peça: 

“Por Elas” exibe ao público um “coro de mulheres” formado por sete atrizes, que espelha tanto o condicionamento do sexo feminino aos estereótipos imputados pelo machismo, quanto a ambiguidade com que a sociedade trata a violência de gênero. Cada uma das sete personagens femininas carrega histórias de outras tantas mulheres brasileiras. A figura masculina - evocada pelas lembranças das mulheres - dá voz a um “coro de homens” que cria diversas situações de insulto, vergonha, desrespeito, humilhação, dor e agressão psíquica e física à mulher. 

Um grupo de mulheres desconhecidas entre si que, em comum, têm a violência na sua vida amorosa, está reunido para falar sobre suas histórias. Conforme os relatos vão acontecendo, os conflitos, preconceitos, a dor e a própria violência surgem no grupo. 

Produzida pela primeira vez em novembro de 2016, “Por Elas” realizou 60 apresentações, entre leituras dramatizadas - em 2016 e 2017 -, temporadas regulares na Sala Multiuso do Antigo Palácio da Justiça - de dezembro de 2017 a agosto de 2018 -, e no Teatro de Arena da Caixa Cultural do Estado do Rio de Janeiro - em dezembro de 2018. O espetáculo já foi assistido por 4.500 pessoas. 

Fonte: Assessoria de Comunicação da Emerj

Galeria de Imagens