Oficina de Parentalidade no Fórum de Leopoldina mostra aos pais divorciados a importância do diálogo
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 26/01/2018 18:23

O Centro Judiciário de Resolução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) do Fórum de Leopoldina, em Olaria, Zona Norte do Rio de Janeiro, realizou nesta sexta-feira, dia 26, a primeira Oficina de Parentalidade na Casa da Família. Cerca de 15 pais participaram da atividade. A ideia do projeto é ajudar pais separados, ou que estão em processo de separação, a solucionar os conflitos para o benefício dos filhos.

Com um tom de esperança e preocupados com os filhos, de 3 e 4 anos, Pablo Costalonga e Haila de Resende foram encaminhados à Oficina depois de uma sessão de mediação no processo de divórcio. Eles afirmaram que a iniciativa será uma oportunidade para os dois reduzirem a distância que há hoje entre os dois.

“Acho que a Oficina vai nos ajudar a alcançar um denominador comum, principalmente pelo bem dos nossos filhos. Eu espero que a gente possa discutir as nossas ideias de forma saudável e atingir nosso objetivo, que é a felicidade das crianças”, disse Pablo.

Haila disse que fez questão de contar aos filhos que iria encontrar seu pai para discutir sobre a relação, apesar da pouca idade e compreensão das crianças do momento enfrentado pela família. Com o carinho de mãe, ela defendeu o diálogo com o ex-marido para a construção de um ambiente familiar agradável.

“Eu espero que a conversa de hoje ajude a diminuir o espaço que existe entre nós. Nós sempre seremos pai e mãe e precisamos manter um bom relacionamento por causa das crianças. Eles merecem isso”, destacou.

Mediadora e uma das apresentadoras do conteúdo da palestra de duas horas, Marcia Quaresma ressaltou que a Oficina mostra o lado humano do Poder Judiciário, preocupado em auxiliar as famílias a resolverem seus conflitos de forma consensual.

“As pessoas que vêm à Justiça têm algum problema, e ele precisa ser resolvido. Mas só uma sentença pode não solucionar. Então a Oficina ajuda os pais e, por extensão, as crianças, que sofrem com a separação. Aqui a gente propõe o diálogo e tratamos do caso de uma forma mais abrangente e próxima”, afirmou.

A mediadora Delcimar Paiva conversou com os pais sobre a experiência do divórcio para os filhos. De acordo com ela, os pais precisam mostrar que a separação apenas muda a estrutura da família, e que eles precisam ficar atentos às reações das crianças, evitando que elas sintam culpa pela situação.

“A experiência do divórcio é forte, e há sintomas que as crianças apresentam caso estejam sofrendo com a situação. Os filhos são formados do amor dos pais, então vocês devem ser um bom exemplo”, informou.

Foto: Brunno Dantas/TJRJ

JGP/AB

 

Galeria de Imagens