Presidente do TJ e prefeito do Rio assinam convênio para empregar mulheres vítimas de violência doméstica 
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 14/09/2021 14:33

Um recomeço para a mulher vítima de violência doméstica.  Este é o propósito do projeto Novos Rumos, uma parceria entre o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) e o Município do Rio para inserir no mercado de trabalho mulheres que enfrentam processos judiciais de violência doméstica, tendo sido submetidas a diversos tipos de agressão – como psicológica, verbal e física - e, em muitos casos, sem condições de sair deste ciclo violento em função da dependência econômica do agressor.  A assinatura do protocolo de intenções foi realizada hoje (14/9) no TJRJ.  

No evento, o presidente do Tribunal de Justiça do Rio, desembargador Henrique Carlos de Andrade Figueira, destacou que, nos dias atuais, situações de extrema dificuldade social têm um reconhecimento maior, sendo importante que todos os agentes públicos, com suas equipes, estejam envolvidos na busca por soluções. “O projeto é de uma importância fundamental, ele coloca mulheres com dificuldades em condições de se reerguerem depois de uma frustração gigantesca a fim de que elas quebrem esse ciclo de violência. É mais uma forma de ajudarmos a sociedade. Isso eu acho que é nossa missão principal: melhorarmos as condições sociais”, afirmou.  

Para o prefeito Eduardo Paes, a emancipação financeira é fundamental. “Nada melhor que independência financeira, essa que é a verdade. Nenhuma mulher vive uma circunstância de violência doméstica porque gosta daquilo. Vive porque precisa, porque está preocupada com os filhos, porque está preocupada com o seu sustento, porque não conseguiu essa independência financeira. Então, isso envolve políticas públicas para que a gente possa trazer a emancipação de fato, para que aquele problema possa se interromper, possa se encerrar. Essa é uma iniciativa fantástica e eu estou muito feliz de estar aqui mais uma vez com o Tribunal de Justiça”, ressaltou.  

A presidente da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica (Coem), desembargadora Suely Lopes Magalhães, enfatizou a importância da união para o enfrentamento da violência doméstica. “Estamos todos juntos. E é esse ‘todos somos um’ que me traz muita esperança, muita alegria. O Novos Rumos é um projeto de uma grandeza que o estado do Rio de Janeiro está de parabéns. Vamos começar com nossa cidade, mas sei que ele vai caminhar por novos rumos, tomar outras direções em outras comarcas”, disse a magistrada, falando da intenção de, posteriormente, estender a iniciativa ao interior.  

A secretária especial de políticas e promoção da mulher, Joyce Trindade de Faria, contou que um dos maiores desafios encontrados é justamente trazer independência financeira para as mulheres em situação de violência. “A possibilidade de emprego, de um novo caminho gera o rompimento do ciclo da violência. Esse é um desafio que todos nós precisamos compartilhar, precisamos criar ferramentas, para de fato, desenharmos um futuro melhor para toda a cidade do Rio de Janeiro. Para o futuro crescer a partir das mulheres, a autonomia financeira é um dos caminhos prioritários para isso”, declarou.  

O secretário municipal de Trabalho e Renda, Sergio Felippe, lembrou que o número de casos de violência doméstica vem aumentando desde o início da pandemia. “Muitas das vítimas convivem com o agressor porque não têm renda própria para tomar a difícil decisão de recomeçar uma nova vida. Um emprego elevará a autoestima delas e a confiança de que é possível seguir adiante”, disse.  

Estiveram presentes também no evento o corregedor-geral da Justiça, desembargador Ricardo Cardozo; as juízas Adriana Ramos de Mello e Elen de Freitas Barbosa, além dos secretários municipais de desenvolvimento econômico, inovação e simplificação, de assistência social e de ação comunitária,  respectivamente, Chicão Bulhões, Laura Carneiro e Marli Peçanha, entre outros.  

Fotos: Felipe Cavalcanti/TJRJ

SP/MB

Galeria de Imagens