TJRJ assina convênio com Estado para reforma e uso de prédio da antiga estação da Leopoldina
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 27/12/2018 18:58

                                                                               Maquete do projeto de reforma da antiga estação da Leopoldina

 

O presidente do Tribunal de Justiça do Rio, desembargador Milton Fernandes de Souza e o governador do Estado do Rio de Janeiro, Francisco Dornelles assinaram, nesta quinta-feira, dia 27, no Palácio Guanabara, Termo de Compromisso de Cessão de Uso de Áreas para utilização da área do prédio Barão de Mauá, onde funcionava a antiga estação da Leopoldina. A área será utilizada para instalação dos serviços administrativos do Poder Judiciário.

O projeto prevê, ainda, a transferência das frotas de automóveis e as unidades de oficinas, que hoje estão instaladas em vários pontos da cidade, alguns, em áreas de risco. Também serão transferidas as unidades administrativas espalhadas em vários prédios, centralizando a atuação dos servidores e a prestação jurisdicional.

O termo de concessão de uso corresponde à área de cerca de 40 mil m², situada na Rua Ceará nº 401, Praça da Bandeira; de 10 mil m², situada na Rua Francisco Eugênio nº 303, em São Cristóvão; e o prédio Barão de Mauá e área contigua ao prédio. Como contrapartida o TJ ficará responsável pela restauração do prédio e manutenção das instalações.

O juiz Marcelo Rubioli, juiz auxiliar da presidência do TJRJ, acredita que a ocupação do terreno pelas unidades do Tribunal irá agilizar o atendimento ao jurisdicionado.

“Trata-se de uma cessão de um terreno que o Governo do Estado fez ao Tribunal, englobando o antigo prédio da estação da Leopoldina cujo objeto é que o Tribunal centralize toda sua atividade de logística em um único local perto do Tribunal e com uma agilidade maior. Vamos deslocar unidades que hoje estão instaladas em prédios antigos e deteriorados, ou mesmo em área de risco. Isso vai possibilitar uma agilidade no atendimento à população ”, afirmou.

                                   O presidente do TJRJ, des. Milton Fernandes de Souza e o governador Francisco Dornelles assinam o convênio

 

Para Rubioli, o crescimento do número de pessoas circulando, diariamente, nas novas instalações, poderá contribuir para o aumento da segurança na região.

“Além disso, vai fomentar o desenvolvimento daquela área ali da Leopoldina que se encontra degradada. Isso vai significar uma circulação direta de funcionários em torno de quatro mil pessoas, fora os indiretos, envolvendo as pessoas que se dirigem, diariamente, às unidades do Tribunal de Justiça. Com isso, teremos uma movimentação contínua na região, possibilitando um aumento na segurança naquela área”, avaliou o juiz auxiliar.

O secretário de Estado da Casa Civil, Sérgio Pimentel, também considerou positivo para a cessão do terreno para o Poder Judiciário, avaliando que, irá possibilitar a revitalização do espaço.

“A importância desse convênio é, além de permitir ao Tribunal agregar toda sua área de logística e de infraestrutura em um mesmo local, vai permitir que o ele contribua com o Estado na conservação do imóvel que é muito importante para nós. Acredito que com isso vai permitir que aquela área seja revitalizada. Só temos a agradecer ao Tribunal de Justiça por essa colaboração”, avaliou o secretário.

JM/JCT

Fotos: Sabrina Bernardo

Galeria de Imagens