Estátuas do Tribunal de Justiça são restauradas

As estátuas da Justiça, Lei e Equidade ficam na esquina das Ruas Erasmo Braga e Dom Manuel. A quarta estátua, do Testemunho, está localizada no Beco da Música.

Quatro estátuas que representam a Lei, a Justiça, a Equidade e o Testemunho foram restauradas, recentemente, num trabalho que contou com a supervisão do Museu da Justiça do Estado do Rio de Janeiro. Três das quatro esculturas ficam na esquina das Ruas Erasmo Braga e Dom Manuel. A estátua do Testemunho está localizada no chamado Beco da Música, próximo à Avenida Antônio Carlos. Para a execução da reforma, o Tribunal de Justiça abriu licitação, vencida por uma empresa especializada.

            A restauração das obras durou cinco dias. Todas passaram por um processo de limpeza, com remoção de ferrugem e das fezes de pombos, que, segundo especialistas, possuem pH ácido e danificam a estrutura das estátuas. A proximidade delas com o mar também contribui para sua deterioração. Para aumentar a resistência do material à ação do tempo, uma pátina química foi utilizada para cobrir as esculturas.

Feitas em bronze, as quatro esculturas medem cerca de dois metros cada e são de autoria do desembargador Deocleciano Martins, datadas de 1966, confeccionadas a pedido do presidente do Tribunal do antigo Estado da Guanabara, Martinho Garcez Neto para ornamentarem o Fórum central. As estátuas eram um projeto pessoal do magistrado.

Esse foi o primeiro trabalho de limpeza dessas obras acompanhado por um especialista e por um museólogo da Divisão de Gestão de Acervos (DIGAC) do Museu da Justiça/DEGEM, unidade responsável pela conservação do patrimônio histórico do Poder Judiciário estadual. Esse departamento integra a DGCON - Diretoria Geral de Gestão do Conhecimento do TJRJ.

Curiosidades sobre as estátuas

Lei - A simbologia utilizada pelo autor é da representação da lei como Javé, considerado o criador das leis naturais e sobrenaturais. A estátua traz na cabeça o triângulo que os antigos usavam para indicar o Pai Eterno. Dos seus membros desce a asa única, símbolo da onipresença. No seu cinto, as estrelas de seis pontas lembram as constelações. Na altura das pernas, as tábuas das leis.

Justiça - O artista simbolizou em Cristo a representação da Justiça. Para Deocleciano Martins, os códigos penais estão incluídos na moral cristã. Na mão direita, o Cristo Togado carrega o cetro do poder que lhe foi conferido pelo País. Na vara, estão as três esferas, representando os mundos físico, moral e espiritual. O dedo indicador na mão esquerda aponta a sede do juiz, caracterizando o campo moral da consciência.

Equidade - A mãe está na simbologia da estátua. Segundo o artista, a figura materna aparece para pedir misericórdia, uma das características da justiça divina.

Testemunho - Nessa obra o autor simboliza a figura da testemunha, enaltecendo seu papel de colaboradora da jutsiça.

O Museu da Justiça fica na Rua Dom Manuel, 29 - Centro, dentro do Antigo Palácio da Justiça.