Pesquisadora doa obra para o acervo bibliográfico do Museu da Justiça

 O livro doado fará parte agora do acervo bibliográfico do Museu da Justiça. Processos que compõem o acervo do SEGAD.

O Museu da Justiça recebeu, recentemente, a doação do livro 'Pioneiros dos três rios - A Condessa do Rio Novo e sua gente", de autoria da pesquisadora e escritora Cínara Maria Bastos Jorge Andrade do Nascimento. A obra, de cunho histórico/genealógico, da Editora Três Rios, tem 333 páginas e retrata a saga dos familiares da condessa do Rio Novo, fundadora de Três Rios - cidade natal da autora - e de sua família, oriunda de São João Del Rei. Para subsidiar o trabalho, ela se utilizou das fontes documentais disponibilizadas pelo Serviço de Gestão de Acervos Documentais (SEGAD) do Museu. A obra irá integrar o acervo bibliográfico da instituição.

'Tenham a certeza de que foi com muito empenho e imenso orgulho que efetuei o estudo e a pesquisa que este livro apresenta. Pesquisa que contou com a valiosa colaboração desse Museu. É uma grande honra saber que esta obra, que é fruto de sete anos de pesquisa, poderá doravante fazer parte da biblioteca do Museu da Justiça", disse a escritora.

Segundo Carlos Eduardo de Almeida Barata, vice-presidente do Colégio Brasileiro de Genealogia, 'Pioneiros dos três rios" nos faz reconhecer um novo percurso e mergulhar sem medo na história genealógica. "Não se pode alterar a história de Três Rios. A obra, entretanto, modifica a geografia, pois de suas páginas surge um novo mapa. Da poderosa nascente da persistência, da tenacidade, do rigor e da fidelidade vem a força da correnteza desse novo rio, sulcado no amor e na gratidão de uma filha da terra, Cínara Jorge; que, genealogista por vocação, revela nomes, corrige datas e apresenta contextos que desvendam segredos e reconstróem as margens de outrora", afirmou.

A publicação do livro é uma demonstração da importância da documentação judicial para a pesquisa histórica, social e genealógica, bem como da assistência à pesquisa, realizada pelo Museu da Justiça, por meio do Serviço de Gestão de Acervos Documentais (SEGAD), da Divisão de Gestão de acervos (DIGAC).

O Museu da Justiça fica na Rua Dom Manuel, 29 - Centro.

Mais informações no site www.tjrj.jus.br, link Institucional/museudajustica