Museu da Justiça integra o 2º Seminário Nacional de Museus do Poder Judiciário

O historiador Gilmar de Almeida Sá apresentou, durante o 2º Seminário Nacional de Museu, o Programa de História Oral e Visual da Instituição.  O 2º Seminário Nacional de Museus do Poder Judiciário está acontecendo no auditório do Centro Cultural Justiça Federal.

O Museu da Justiça integrou na manhã desta quarta-feira, dia 16, os debates do 2º Seminário Nacional de Museus e Centros de Memória do Poder Judiciário, com apresentação de um painel sobre o Programa de Historia Oral e Visual do Poder Judiciário do RJ, proferida por Gilmar de Almeida Sá -  chefe do Serviço de Gestão de Acervo Documental e Bibliográfico (Segad) da Instituição. O Encontro tem por objetivo garantir o intercâmbio de experiências entre museus e centros de memórias vinculados ao Poder Judiciário do Brasil, de forma a estimular ações sistêmicas e de colaboração mútua em relação à preservação e à promoção da memória e da história da Justiça brasileira. A organização é do Centro Cultural Justiça Federal (CCJF) e do Tribunal Regional Federal da 2ª Região. O I Seminário Nacional de Museus e Centros de Memória do Poder Judiciário foi realizado em agosto do ano passado, pelo Museu da Justiça, com o tema 'Memórias em debate'.

O historiador Gilmar de Almeida Sá começou a sua palestra mostrando a importância do projeto, que já tem 15 anos de existência, e que hoje conta com mais de 150 horas de depoimentos gravados de magistrados, servidores e autoridades ligadas ao Poder Judiciário. Entre eles, podemos citar os advogados Técio e Evandro Lins e Silva, a juíza Denise Frossard, o desembargador do TJRJ Sylvio Capanema, o ministro do STF Célio de Oliveira Borja, o ex-governador Floriano Peixoto Faria Lima e outros. "O nosso último entrevistado, o de número 162, foi o desembargador Indio Brasileiro Rocha do TJRJ", comentou.

"O Programa de Historia Oral e Visual do Poder Judiciário pretende resgatar e preservar a memória do Poder Judiciário, por meio de entrevistas gravadas de autoridades ligadas à justiça fluminense. Um dos principais objetivos do Programa é criar novas fontes de pesquisa histórica, em suporte audiovisual, para profissionais da área e leigos interessados em conhecer aspectos históricos do Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro", afirmou Gilmar.

O chefe do Segad falou também que apesar da procura pelas fontes orais ainda ser menor em comparação com o acervo textual, a História Oral vem se constituindo como um novo e importante instrumento de pesquisa histórica nos últimos anos. "Temos sido procurados por instituições, de outros estados, inclusive, interessadas no acervo do Programa para elaboração de trabalhos e exposições", completou.

Quanto a parte técnica, Gilmar disse que, no ano passado, foi iniciado o processo de migração de todo acervo analógico para o suporte digital, que já está concluído, e que isto tem facilitado o acesso para a preservação do material. "Além disso, temos disponíveis na página do Museu da Justiça, sumários das entrevistas onde o usuário pode ver o conteúdo de forma resumida", explicou Gilmar.

Para ver os sumários, clique aqui.

1º Seminário Nacional de Museus

O 1º Seminário Nacional de Museus e Centros de Memória do Poder Judiciário foi um projeto idealizado pelo Museu da Justiça do Rio, com apoio da Secretaria de Estado de Cultura. Teve a participação de representantes de 140 museus e centros de memória das cinco regiões do País. Após o encontro, foi lançada ideia da criação de uma Rede de Espaços de Memória do Poder Judiciário, que continua em debate nesse segundo encontro. Dentre os tópicos do documento, há o comprometimento com a troca de experiências, informações e novos instrumentos de gestão, além do apoio na formulação de parcerias, convênios e ações de capacitação. .

Mais informações sobre o 2º Seminário Nacional de Museus e Centros de Memória do Poder Judiciário, que ocorre no CCJF, na Avenida Rio Branco, 241 - Cinelândia, até a próxima sexta, dia 18, podem ser obtidas pelo sitewww10.trf2.jus.br/eventos ou pelos telefones (21) 3261-2551 e (21) 3261-2566.