Desembargador Giuseppe Vitagliano registra suas memórias no Museu da Justiça

O desembargador Giuseppe Vitagliano (à direita), durante a entrevista, ao lado do desembargador Ronald Valladares

O Museu da Justiça, por meio do Programa de História Oral e Visual, recebeu, recentemente, a visita do desembargador aposentado Giuseppe Ítalo Brasilino Vitagliano, cujo depoimento, agora, é parte integrante do acervo audiovisual da Instituição. O magistrado relembrou, na ocasião, fatos importantes de sua trajetória pessoal e profissional dentro do Poder Judiciário, numa rica entrevista que durou cerca de uma hora.

O desembargador Giuseppe Vitagliano nasceu em 6 de março de 1934, na cidade de Pedro Leopoldo, no Estado de Minas Gerais. Formou-se em Direito pela Universidade Gama Filho, em 1958, cursando pós-graduação na mesma entidade e também na Escola Superior de Guerra.

Atuou como advogado no antigo Distrito Federal e no Estado da Guanabara. Foi ainda promotor de Justiça em diversas comarcas do interior do Estado do Rio de Janeiro, tendo ingressado no Tribunal de Alçada Criminal, em 2 de outubro de 1996, onde fez parte da última composição da referida Corte de Justiça.

Giuseppe Vitagliano possui também larga experiência no magistério, tendo exercido a função na Sociedade Universitária Augusto Mota, na Universidade Gama Filho e na Escola de Formação de Oficiais da Polícia Militar, além de cursos preparatórios. Foi empossado como desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro em 2 de março de 1998. A aposentadoria veio em 7 de março de 2004. E, em janeiro de 2009, foi nomeado corregedor-geral das corregedorias da Secretaria de Segurança do Estado do Rio de Janeiro.

A entrevista foi coordenada pelo desembargador Ronald Valladares, membro da Comissão de Preservação da Memória do Judiciário, e realizada pelo chefe do Serviço de Gestão de Acervo Documental e Bibliográfico (Segad), Gilmar de Almeida Sá. Ao final dela, o desembargador Giuseppe Vitagliano, emocionado, agradeceu a oportunidade de relembrar toda sua trajetória profissional, além de momentos importantes da história da Justiça fluminense, cedendo, então, seu depoimento, para o acervo audiovisual do Programa de História Oral e Visual do Museu da Justiça, já disponível para consulta.

O sumário das entrevistas, veja aqui.

Mais informações, pelo telefone 3133-3765 ou pelo e-mail dgcom.segad@tjrj.jus.br

O Museu da Justiça é uma unidade vinculada à Diretoria Geral de Comunicação Institucional (DGCOM) do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro.