Centro da Memória Judiciária de Niterói recebe seus primeiros visitantes: Rei do Mate e Bob's

O antigo Palácio da Justiça de Niterói recebe grupo do Rei do Mate. Na foto, o hall de entrada do prédio histórico. Funcionários do Bob's conheceram (ao fundo) a Galeria dos Presidentes do TJ do antigo Estado do Rio de Janeiro.
Na foto, à direita, o educador Marcos Villas Bôas.

O Centro da Memória Judiciária de Niterói recebeu na terça e quarta-feira passadas, dias 11 e 12, após a volta da restauração do antigo Palácio da Justiça local, os seus primeiros visitantes. Funcionários das empresas Rei do Mate e Bob's, totalizando cerca de 58 pessoas, nos dois dias, e divididos em grupos, percorreram o histórico prédio. Para a maioria deles, esse foi o primeiro contato com o funcionamento da Justiça fluminense. A instituição foi reaberta no último dia 5, para as suas novas atividades educativas e culturais à população, entre elas, as visitas guiadas e exposições.

O passeio pelo antigo Palácio da Justiça de Niteroi teve a duração de 60 minutos e começou nas escadarias do prédio, com o educador do Centro da Memória, Marcos Villas Bôas, que falou um pouco do conjunto arquitetônico ao redor da Praça da República. Em seguida, os visitantes conheceram o "hall" de entrada do palácio, onde estão o retrato do patrono do Centro da Memória Judiciária de Niterói, desembargador Jalmir Gonçalves da Fonte e a estátua do renomado jurista e escritor Rui Barbosa.

A visita seguiu até o plenário do Tribunal do Júri, que fica no 1º andar, onde as pessoas tiveram contato com aspectos históricos do lugar e do funcionamento da Justiça fluminense de primeiro grau. Logo após, foram conduzidos pelo educador ao 2º andar do prédio, onde visitaram parte da exposição "Projeto Memória do Poder Judiciário". Já dentro do suntuoso salão do Tribunal Pleno, os visitantes foram levados a mais um passeio, desta vez pela história da Justiça fluminense de segundo grau.

A visitação prosseguiu pela segunda parte da exposição do Projeto Memória, que retrata a Justiça nacional e estadual de outras épocas, e foi finalizada em outra sala do 2º andar, onde também estão em cartaz a mostra "Dom João VI e a Justiça em Niterói", que destaca o papel desempenhado pelo monarca na criação da Vila Real da Praia Grande, origem da cidade de Niterói e a exposição "A Justiça e sua Simbologia".

Momento cultural e histórico

Para Maurício Salkini, franqueado das duas empresas, uma vez por mês, os funcionários costumam fazer visitas culturais e educativas a algumas instituições. "Este ano eles foram ao CCBB, ao Paço Imperial e MAC-Niterói, entre outros, a fim de conhecerem esses espaços. É uma forma dos funcionários terem acesso à cultura, se aproximarem mais da cultura local e do nosso país. E hoje, eles estão aqui, conhecendo o judiciário, muitos deles, por serem jovens, pela primeira vez. Esse passeio é feito sempre após um treinamento técnico-operacional. Considero, portanto, muito positiva a visita de hoje ao antigo Palácio da Justiça de Niterói", disse.

Zuleide dos Santos Martins, que trabalha na loja do Rei do Mate da Praça XV, achou muito interessante e proveitosa a visita guiada ao antigo palácio de Niterói. "Hoje aprendi mais sobre a justiça, a do passado e do presente", afirmou.

O funcionário, também da loja da Praça XV, Douglas Generoso, comentou ser o passeio uma ótima oportunidade para aprender sobre a Justiça fluminense. "Tive nesta terça-feira, noções sobre a justiça que não conhecia. Gostei muito e aprendi também".

O mesmo achou Kleber Mendes da Silva, que trabalha no Bob's da Central do Brasil. "Muito importante as informações passadas na visita guiada. São coisas que só ouvimos falar em novelas, nos noticiários, nos filmes. É bom sabermos como a justiça funcionava e como funciona. É um mundo novo e diferente", falou.

O Centro da Memória Judiciária de Niterói fica na Praça da República, s/nº - no Centro, dentro do antigo Palácio da Justiça, e funciona de segunda a sexta, das 11h às 18h. A instituição é administrada pelo Museu da Justiça / DEGEM, unidade vinculada à Diretoria Geral da Gestão do Conhecimento (DGCON) do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

Mais informações, pelos telefones 3002-4285/4286 ou pelo e-mail museudajustica.niteroi@tjrj.jus.br