Museu da Justiça promove nesta terça sua tradicional visita guiada ao Antigo Palácio da Justiça

Na visita realizada pelo Museu da Justiça as pessoas conhecem a história de belos painéis, como o Apoteose à Justiça, do pintor André Vento. O Museu da Justiça tem também a atividade de Oficinas Pedagógicas, especialmente, para a criançada do Ensino Fundamental, de 7 a 11 anos.

O Museu da Justiça do Rio promove nesta terça-feira (dia 30), às 14h, a sua tradicional visita guiada ao Antigo Palácio da Justiça feita por educadores da instituição. O passeio desta quarta-feira, porém, foi suspenso, em virtude do feriado de 1º de maio - Dia do Trabalho. Continua também em cartaz neste dia a exposição "O Direito Ambiental nas fontes históricas do Poder Judiciário". A entrada é gratuita para ambos os eventos.

As visitas mediadas pelo museu percorrem diversos ambientes que mostram o funcionamento da Justiça fluminense atual e de outras épocas. Grupos também podem ser agendados, com um número máximo de 40 pessoas por sessão. A instituição desenvolve ainda oficias pedagógicas voltadas para crianças com idade de sete a 11 anos - alunos do Ensino Fundamental. Mais informações, pelos telefones (021) 3133- 3532/3497 ou pelo e-mail seexp@tjrj.jus.br

O Centro da Memória Judiciária de Niterói também está recebendo visitantes nesta terça e no decorrer da semana, mediante agendamento pelos telefones (021) 3002-4284/4285 ou pelo e-mail museudajustica.niteroi@tjrj.jus.br. A unidade, que é administrada pelo Museu da Justiça, está aberta de segunda a sexta, das 11h às 18h, com exceção desta quarta (feriado nacional) e fica na Praça da República, s/nº - Centro - Niterói.

Exposições

Quatro exposições continuam em cartaz nos dois antigos Palácios da Justiça. No Rio encontra-se "O Direito Ambiental nas fontes históricas do Poder Judiciário", localizada na Rua Dom Manuel, 29, Centro, com funcionamento de segunda a sexta, das 11h às 17h, no Salão dos Espelhos. Está dividida em quatro núcleos, que falam de questões ambientais do nosso estado, sendo um deles, a polêmica destruição da cidade de São João Marcos por causa da construção da represa de Ribeirão das Lajes.

Já as três mostras que estão abertas ao público no Centro da Memória Judiciária de Niterói tratam dos aspectos da história da cidade e da Justiça fluminense. São elas: "Dom João VI e a Justiça em Niterói", "Projeto Memória do Poder Judiciário" e "A Justiça e sua Simbologia".

O Museu da Justiça, órgão vinculado à Diretoria Geral de Gestão do Conhecimento (DGCON), do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, fica na Rua Dom Manuel, 29 - Centro, dentro do Antigo Palácio da Justiça.

Mais informações sobre as suas atividades, clique aqui.