Museu da Justiça continua com exposições e visitas guiadas aos antigos Palácios da Justiça

O vitrail que trata da promulgação do primeiro Código Penal Brasileiro pode ser apreciado durante a visita guiada pelo Museu da Justiça. A mostra sobre o Direito Ambiental tem atraído um público diverso, interessado em conhecer um pouco mais sobre este ramo do Direito.

O Museu da Justiça continua promovendo quatro exposições, além de suas tradicionais visitas guiadas aos antigos Palácios da Justiça do Rio e de Niterói. A mostra "O Direito Ambiental nas fontes históricas do Poder Judiciário" está em cartaz no Antigo Palácio da Justiça do Rio, e as exposições "Dom João VI e a Justiça em Niterói", "Projeto Memória do Poder Judiciário" e "A Justiça e sua Simbologia", no Centro da Memória Judiciária de Niterói. O acesso a todas é grátis.

As visitas guiadas e mediadas por educadores aos dois antigos prédios acontecem semanalmente. As do Rio ocorrem todas as terças (às 14h) e quartas-feiras (às 11h e às 14h) e são realizadas pelo Museu da Justiça. Percorrem diversos ambientes que mostram o funcionamento da Justiça fluminense atual e de outras épocas. Grupos também podem ser agendados, com um número máximo de 40 pessoas por sessão. Mais informações, pelos telefones (021) 3133- 3532/3497 ou pelo e-mail seexp@tjrj.jus.br

Já os passeios guiados em Niterói, realizados pela equipe de educadores do Centro da Memória Judiciária de Niterói, podem ser marcados pelos telefones (021) 3002-4284/4285 ou pelo e-mail museudajustica.niteroi@tjrj.jus.br. O Centro da Memória Judiciária de Niterói está aberto de segunda a sexta, das 11h às 18h, e fica na Praça da República, s/nº - Centro, e é administrado pelo Museu da Justiça.

Exposições

A exposição "O Direito Ambiental nas fontes históricas do Poder Judiciário" está em cartaz na Rua Dom Manuel, 29, Centro do Rio, e funciona de segunda a sexta, das 11h às 17h, no 3º andar, no Salão dos Espelhos. A mostra está dividida em quatro núcleos, que falam de questões ambientais do nosso estado. Um deles trata da polêmica destruição da cidade de São João Marcos por causa da construção da represa de Ribeirão das Lajes.

As três mostras que estão abertas ao público no Centro da Memória Judiciária de Niterói tratam dos aspectos da história da cidade e da Justiça fluminense. São elas: "Dom João VI e a Justiça em Niterói", "Projeto Memória do Poder Judiciário" e "A Justiça e sua Simbologia".

Para outras informações sobre as atividades desenvolvidas pelo Museu da Justiça, clique aqui.