Centro da Memória Judiciária de Niterói: opção de lazer neste final de férias

Na exposição Dom João VI e a Justiça em Niterói, destaque para o primeiro juiz de direito da Comarca, Francisco de Paula de Negreiros Sayão Lobato, o Visconde de Niterói. O visitante pode conhecer também, de forma individual, o antigo Palácio da Justiça de Niterói. Na foto, o hall de entrada do prédio histórico.

O Centro da Memória Judiciária de Niterói pode ser uma boa opção de lazer neste final de férias, para quem mora na localidade fluminense e adjacências, onde estão em cartaz três exposições que falam um pouco sobre a história da cidade e do Poder Judiciário local. São elas: "Dom João VI e a Justiça em Niterói", que destaca o papel desempenhado pelo monarca na criação da Vila Real da Praia Grande, origem da cidade de Niterói; "Projeto Memória do Poder Judiciário", que retrata a Justiça nacional e estadual de outras épocas, por meio de objetos, quadros e condecorações; e "A Justiça e sua Simbologia".

Merecem destaque, ainda: a Ata da Instalação do Tribunal da Relação do Estado do Rio de Janeiro - lavrada em 15 de julho de 1891, no Paço da Relação, na Cidade de Niterói, pelo então governador do Estado, Francisco Portella e pelo presidente, à época, do referido Tribunal, o desembargador João Gonçalves Gomes e Souza; e a galeria de presidentes ¿ composta por 53 retratos de desembargadores que presidiram o Tribunal de Justiça do antigo Estado do Rio de Janeiro, em exibição no Salão anexo ao Pleno de Niterói.

Os interessados podem, também, visitar, de forma individual, o antigo Palácio da Justiça, que fica na Praça da República, s/nº - Centro de Niterói, e apreciar o seu entorno arquitetônico e histórico. O horário de funcionamento é das 11h às 18h, de segunda a sexta.

O Centro da Memória Judiciária de Niterói é administrado pelo Museu da Justiça / DEGEM, unidade vinculada à Diretoria Geral de Gestão do Conhecimento (DGCON) do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

Mais informações sobre as três mostras e visitas guiadas, pelos telefones 3002-4285/4286 ou pelo e-mail museudajustica.niteroi@tjrj.jus.br