Exposições e visitas guiadas aos antigos Palácios da Justiça do Rio e de Niterói

O arrasamento da cidade de São João Marcos é um dos temas da mostra sobre Direito Ambiental,  no Antigo Palácio da Justiça do Rio. Na exposição em Niterói, o visitante poderá conhecer a história da criação da cidade.

Quatro exposições continuam em cartaz dentro do circuito do Poder Judiciário do Rio de Janeiro e de Niterói, promovidas pelo Museu da Justiça. Uma no Antigo Palácio da Justiça - "O Direito Ambiental nas fontes históricas do Poder Judiciário" - e três no Centro da Memória Judiciária de Niterói: "Dom João VI e a Justiça em Niterói", "Projeto Memória do Poder Judiciário" e "A Justiça e sua Simbologia".  O acesso a todas as mostras é gratuito.

A exposição "O Direito Ambiental nas fontes históricas do Poder Judiciário" fica na Rua Dom Manuel, 29, Centro do Rio, e funciona de segunda a sexta, das 11h às 17h, no 3º andar, no Salão dos Espelhos.  É uma oportunidade que o visitante tem de se atualizar sobre esse moderno ramo de atuação da Justiça.  A mostra  está dividida em quatro núcleos que falam de questões ambientais do nosso estado.  Um deles trata da polêmica destruição da cidade de São João Marcos por causa da construção da represa de Ribeirão das Lajes.

Já no Centro da Memória Judiciária de Niterói a boa opção é conhecer as três exposições atuais que tratam dos aspectos da história da cidade e da Justiça fluminense: "Dom João VI e a Justiça em Niterói", que destaca o papel desempenhado pelo monarca na criação da Vila Real da Praia Grande, origem da cidade de Niterói; "Projeto Memória do Poder Judiciário", que retrata a Justiça nacional e estadual de outras épocas, por meio de objetos, quadros e condecorações; e "A Justiça e sua Simbologia", que procura dar ao visitante uma idéia do significado das figuras e representações utilizadas na esfera judiciária.

Visitas guiadas

Também prossegue o programa de visitas mediadas e guiadas por educadores aos antigos Palácios da Justiça do Rio e de Niterói.  Ambas as visitações duram cerca de uma hora e percorrem vários ambientes que mostram o funcionamento da Justiça fluminense atual e de outras épocas, além de contarem a história da arquitetura de cada prédio.  No Rio, elas acontecem todas as terças (às 14h) e quartas-feiras (às 11h e às 14h).  Grupos também podem ser agendados, com no máximo 40 pessoas por sessão.  E os servidores que participarem dos eventos têm computadas horas de capacitação pela Esaj.  Mais informações, pelos telefones (021) 3133- 3532/3497 ou pelo e-mail seexp@tjrj.jus.br

Já em Niterói, a disponibilidade dos passeios guiados pode ser consultada pelos telefones (021) 3002-4284/4285 ou, ainda, pelo e-mail museudajustica.niteroi@tjrj.jus.br.  O Centro da Memória Judiciária de Niterói funciona de segunda a sexta, das 11h às 18h, e está localizado dentro do antigo Palácio da Justiça daquela cidade, na Praça da República, s/nº - Centro.  A unidade é administrada pelo Museu da Justiça / DEGEM, unidade vinculada à Diretoria Geral de Gestão do Conhecimento (DGCON) do TJRJ.