Visita especial no último sábado ao Antigo Palácio da Justiça

A educadora Blanca fala aos visitantes sobre os processos do século XIX relativos à limpeza e higiene urbanas. O grupo de jovens da 1ª Igreja Batista da Vila Rosali em foto no Tribunal Pleno.


O Museu da Justiça do Rio realizou, no sábado passado, dia 21, uma visita guiada especial a um grupo de 15 jovens da 1ª Igreja Batista de Vila Rosali - bairro de São João de Meriti, município do Rio. Na ocasião, eles tiveram a oportunidade de conhecer aspectos históricos e arquitetônicos do Antigo Palácio da Justiça, sendo este, para alguns deles, o primeiro contato com a Justiça fluminense. A visitação foi conduzida pela museóloga Blanca Dian, uma das educadoras do Museu.

Segundo o responsável pelo grupo, o líder Jonathas Mozer, que também é policial militar e trabalha dentro de um posto da Defensoria Pública do Fórum de São Joao de Meriti, o contato inicial para conhecer o Museu da Justiça veio através da juíza Lysia Maria Mesquita Amaral Figueira, da 4ª Vara Cível daquela comarca. "Nós realizamos encontros bíblicos para o desenvolvimento de assuntos diversos. E pedimos permissão à direção do Fórum, para fazermos uma reunião e debater o tema julgamento. Falando, então, com a juíza Lysia, ela sugeriu que entrássemos em contato com o Museu, a fim de participarmos de uma visita guiada. E, foi ótimo. Todos adoraram. Pretendo realizar outra, em breve", afirmou.

Ele falou que os jovens conheceram, no sábado, não apenas a história da Justiça do Rio, mas de vários períodos da sociedade. "Os espaços arquitetônicos são muito ricos e bonitos, em especial, o do Tribunal do Júri, por sua suntuosidade. Mas, o que eu achei mais interessante mesmo, foi o Salão do Tribunal Pleno, onde as leis aconteceram, foram praticadas. E, trazer estas pessoas hoje aqui, com certeza acrescentou muito em suas vidas", finalizou Jonathas.

O jovem Jansen Silva e Araújo disse ter sido a sua primeira visitação ao Antigo Palácio da Justiça. "Gostei muito de ter conhecido um pouco da história da Justiça deste prédio, mas o que mais me chamou atenção mesmo foi a sua arquitetura, que é muito bonita e cheia de símbolos. Não sou desta área, atuo mais no cinema, e para mim, foi novo tudoo que vi aqui", acrescentou.   

Visitas guiadas e exposição

O Museu da Justiça informa que suas visitas guiadas, com a duração de 60 minutos, ocorrem todas as terças (às 14h) e quartas-feiras (às 11h e às 14h), quando educadores da Instituição falam um pouco da história jurídica, arquitetônica e funcional do Antigo Palácio da Justiça. Nos demais dias e horários, os interessados podem, além de conhecer o prédio, ver a exposição "O Direito Ambiental nas fontes históricas do Poder Judiciário", que fica no Salão dos Espelhos, no 3º andar, do Antigo Palácio da Justiça, aberta de 2ª a 6ª, das 11h às 17h. A mostra foi inaugurada em junho passado e retrata aspectos importantes da história do Direito Ambiental por meio de textos, imagens e documentos que narram fatos ocorridos no Brasil,  desde  o  final  do século XVIII.                                                                                                                                         

Quem quiser participar das visitas guiadas pode se inscrever pelos telefones (021) 3133-3532/3497 ou pelo e-mail seexp@tjrj.jus.br. O número máximo de pessoas, por sessão, é de 40. Os funcionários do TJRJ que forem ao evento, recebem horas de capacitação pela Escola de Administração Judiciária (ESAJ).

O Museu da Justiça do TJ do Rio fica na Rua Dom Manuel, 29 - Centro, dentro do Antigo Palácio da Justiça.    

Mais informações, pelo site www.tjrj.jus.br, link Institucional / Museu da Justiça / visitas guiadas.