Assessoria Imprensa (Dest. Foto/Texto)

Retornar para página inteira

Em 2018, serão inauguradas novas unidades da Casa da Família

Notícia publicada pela Assessoria de Imprensa em Thu Jan 04 13:06:00 BRST 2018

Com índice de 96,25% de resultados positivos nas mediações entre casais em processo de separação, a Casa da Família terá em 2018 um ano de expansão com a inauguração de novas unidades na Região Metropolitana do Rio. Já no próximo dia 18, será inaugurada a quarta Casa da Família no Fórum da Barra da Tijuca, Zona Oeste, e em março acontece a instalação da maior unidade do projeto, na Lâmina 05 do Fórum Central. Inauguradas no final de novembro do ano passado, as duas primeiras casas passaram a funcionar nos Fóruns de Bangu e de Santa Cruz e, em dezembro, foi a vez da implementação do projeto no Fórum da Leopoldina. As três unidades têm um espaço com brinquedos para manter as crianças ocupadas enquanto aguardam a realização das audiências com os pais, tornando o ambiente mais acolhedor.

O projeto é inédito e foi desenvolvido pelo Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec), com o objetivo de encontrar solução para os conflitos familiares sem a necessidade de haver um processo judicial. De acordo com presidente do Nupemec, desembargador Cesar Cury, a iniciativa é fruto de inspiração de várias fontes, principalmente na observação de situações que têm surgido na sociedade moderna. Segundo ele, um casal mesmo depois de separado acaba voltando à Justiça várias vezes com novas ações, para discutir a pensão, a guarda dos filhos e, até mesmo, o compartilhamento do animal doméstico.

Entusiasta da mediação, Cesar Cury tem planos para ampliar a atuação da Casa da Família em todas as questões familiares.

Como surgiu o conceito Casa da Família?

Des. Cesar Cury – É um conceito novo, típico do Rio de Janeiro. Durante um ano e oito meses, desenvolvemos um projeto piloto nos Fóruns de Bangu e Santa Cruz, com resultado de quase 100% na solução dos conflitos entre os casais. Assistidos pelos mediadores, casais desistiram dos processos na Justiça, outros não voltaram com novas ações e grande parte não precisou entrar com processo para discutir a separação.

A iniciativa teve aprovação imediata no Judiciário?

Des. Cesar Cury – A adesão dos juízes foi imediata.  Temos uma lista de pedidos de juízes para a instalação de novas unidades na Região Metropolitana do Rio. Por isso, temos agendado para o primeiro trimestre de 2018 a inauguração de novas Casas da Família.

De que forma essa iniciativa permite a solução de um conflito fora da judicialização?

Des. Cesar Cury – Na sociedade moderna, os casais enfrentam situações peculiares, que nem sempre é possível alcançar resultado numa ação judicial. A Casa da Família oferece um ambiente em que são auxiliadas a encontrar caminhos e soluções para os seus conflitos.

Existem outros planos para atuação da Casa da Família neste ano?

Des. Cesar Cury – A ideia é que o trabalho de mediação realizado na Casa da Família vá para além da resolução dos conflitos entre os casais. Vamos estender essa mediação em família de modo mais amplo, incluindo situações que incluem os maus tratos a idosos ou a sua exploração econômica por um parente, e também em determinados casos de violência doméstica. Existe o crescimento de uma demanda dessas situações na Justiça. Inicialmente, vamos instalar um núcleo no Fórum de Jacarepaguá para cuidar desses casos.

A resolução de conflitos entre casais é uma atividade nova para os mediadores Nupemec, que antes intermediavam as questões consumeristas. Como foi o treinamento desse grupo?

Des. Cesar Cury – Para atuar na Casa da Família, os mediadores fizeram especialização. Como todo mediador, ele precisa ser bacharel em qualquer profissão, com dois anos de experiência e mais a especialização para tratar das questões familiares.

PC/AB 

Fotos: Brunno Dantas