Assessoria Imprensa (Dest. Foto/Texto)

Retornar para página inteira

Especialistas esclarecem sobre diagnóstico e tratamento de câncer de próstata

Notícia publicada pela Assessoria de Imprensa em 2017-11-28 10:03:00.0

A oncologista Rafaela Coelho Pozzobon, da Oncologia D’Or, e o urologista Paulo Salustiano, do Hospital Universitário Pedro Ernesto, ministraram a  palestra “Novembro Azul – Tire suas dúvidas com médicos especialistas”,  nesta segunda-feira, dia 27, no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), esclarecendo a prevenção e tratamento do câncer de próstata. O evento de conscientização fez parte da campanha Novembro Azul, que busca alertar a população masculina sobre a doença. Promovido pelo Departamento de Ações Pró-Sustentabilidade (Deape) e pelo Departamento de Saúde do TJRJ (Desau), a palestra teve mediação  do médico Alfredo Itturriet, chefe de Serviço de Saúde Ocupacional do TJ. Aos servidores que participaram do evento foram conedidas horas de atividade de capacitação pela Escola de Administração Judiciária (Esaj).

No evento,  a oncologista Rafaela Pozzobon, integrante do grupo de uro-oncologia da Oncologia D’Or, chamou a atenção sobre os riscos de automedicação pelos pacientes. “Não se automedique. Muitas pessoas, por ouvirem outras falarem, acabam ingerindo vitaminas sem prescrição médica. Vitamina E em excesso aumenta a incidência do câncer de próstata. Também nunca é demais repetir sobre os perigos do tabagismo. Se o cigarro não existisse, teríamos um terço a menos de ocorrências de câncer no mundo”, afirmou a médica, que também abordou a questão dos tratamentos e as consequências para os pacientes que necessitam de tratamento cirúrgico.

 O urologista Paulo Salustiano, instrutor no ambulatório de uro-oncologia do Hospital Universitário Pedro Ernesto, esclareceu sobre os sintomas do câncer de próstata, apresentando os principais fatores de risco, considerando aqueles que podem ser controlados pelo homem.“Idade avançada (acima de 65 anos), grupo racial (pessoas da raça negra devem se submeter a exames cinco anos antes) e histórico familiar são os principais fatores que não dependem da atitude do homem. Outros fatores como ocidentalização da dieta, estilo de vida sedentário e aumento da obesidade podem ser evitados ou, pelo menos, controlados”, avaliou.  

Na avaliação do urologista, o exame do toque retal, considerado um tabu entre os homens, é fundamental para a obtenção de um diagnóstico mais preciso em relação à doença.  “Os homens devem procurar o médico para realização dos exames a partir dos 50 anos. Aqueles que se encontram no grupo com fatores de risco devem procurar a partir dos 45 anos. O toque retal, apesar da resistência da maioria dos homens, é um exame fundamental para o diagnóstico. Faz parte do exame médico. Não é possível prevenir contra a ocorrência do câncer de próstata, mas podemos fazer um diagnóstico precoce. Infelizmente, por causa dessa resistência, ainda temos um índice de 20% de diagnóstico tardio”, frisou.

Finalizando a palestra, o médico Alfredo Itturriet, chefe de Serviço de Saúde Ocupacional do Departamento de Saúde do TJRJ, agradeceu os esclarecimentos prestados pelos especialistas e alertou sobre os cuidados que devemos tomar antes de buscarmos o tratamento médico como único caminho para prevenção às doenças. “Em 1908, a expectativa de vida no Brasil era de 37 anos. Em 2008, ela subiu para 73 anos. Nossa geração parece não ter assimilado sua imensa responsabilidade em tentar manter-se saudável e produtiva para usufruir esses anos de bônus. Cada pessoa pode e deve assumir uma parte importante da responsabilidade da sua saúde. Quando você vai tomar atitude para evitar que a doença venha a acontecer?”, questionou.

Entendendo a doença

A próstata é uma glândula do sistema genital masculino que pesa em torno de 20 gramas e tem formato parecido com uma castanha. Está localizada abaixo da bexiga e sua principal função é produzir um líquido que se mistura aos espermatozoides produzidos nos testículos e também a outro líquido que vem das vesículas seminais para formar o sêmen. 

O câncer de próstata é o segundo tipo de câncer mais frequente entre os homens no Brasil, atrás apenas dos tumores de pele. Somente entre 2016 e 2017, 61,2 mil novos casos foram estimados pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca). É mais comum em homens com mais de 50 anos de idade e, por isso, é importante fazer exames regularmente a partir desta idade para identificar precocemente problemas na próstata.

O tratamento do câncer de próstata é feito com cirurgia para remover o tumor, sendo necessário, em alguns casos, remover a próstata toda. Outras formas de tratamento que podem ser usadas juntamente com a cirurgia são a radioterapia e o tratamento com hormônios, para diminuir o tumor e reduzir o risco de a doença voltar. Além disso, mesmo após o câncer ter sido curado, é importante fazer exames regulares para identificar precocemente caso o tumor reapareça.

 A campanha Novembro Azul surgiu na Austrália em 2003 durante as comemorações do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, realizado em 17 de novembro. No Brasil, a campanha Novembro Azul foi iniciada pelo Instituto Lado a Lado Pela Vida e pela Sociedade Brasileira de Urologia e hoje envolve atividades em diversas instituições e entidades em todo o País. 

 JM/SP

Foto: Brunno Dantas/TJRJ