Assessoria Imprensa (Dest. Foto/Texto)

Retornar para página inteira

Palestrantes destacam a dignidade da terceira idade em seminário sobre os Direitos dos Idosos

Notícia publicada pela Assessoria de Imprensa em Mon Oct 03 19:45:00 BRT 2016

A líder comunitária Cleonir Alves, de 74 anos, assistiu atenta à terceira mesa de debates do seminário ‘Políticas Públicas e o Desafio da Garantia de Direitos Humanos para Idosos’, realizado nesta segunda-feira, dia 3, no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. Moradora de Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, Cleonir disse que o evento é importante como forma de chamar os idosos para o debate e alertar a população para os direitos negados à terceira idade.

“Falta incentivo aos idosos para que eles fiquem ativos. Muitos ficam abandonados e desmotivados, mesmo ainda tendo muito o que fazer. É muito legal que o Tribunal discuta isso. Para nós idosos é a chance de ouvir coisas novas e discutir o que pode melhorar”, destacou.

Mediadora do debate, a assistente social Andreia Pequeno, da Corregedoria Geral da Justiça, elogiou a iniciativa. Segundo ela, essas atividades têm um enorme valor para conscientizar as próximas gerações e mostrar aos idosos que eles têm seu espaço e merecem que seus direitos sejam debatidos e cumpridos.

A assistente social Daniely Viveiros ressaltou a importância de oferecer aos idosos uma vida digna. De acordo com a palestrante, a convivência é algo fundamental para as pessoas de idade, principalmente depois que eles são abandonados pelos familiares ou retirados de seus lares.

“Não podemos cortar a convivência dos idosos, ainda mais daqueles que sofreram com alguma ruptura familiar ou se afastarem de amigos. É preciso criar uma rede de trabalho eficaz, para que os serviços básicos estendam os direitos e contribuam para estreitar as relações”, avaliou Daniely.

Flavia Furtado, da Secretaria de Envelhecimento Saudável da Prefeitura do Rio, disse que a criação de uma mentalidade social que respeite o idoso é um passo imprescindível para que, no futuro, ele possa ter uma vida digna. Ela destacou o papel que projetos sociais podem exercer para garantir a saúde os direitos das pessoas da terceira idade.

‘’Muitas vezes o idoso é visto como um peso pela sociedade. Ele só vai ter uma velhice digna, caso seja respeitado desde sempre. Projetos que oferecem atividades criadas para o envelhecimento saudável são fundamentais para respeitarmos os idosos. Isso pode amenizar as dificuldades enfrentadas pelo idoso”, afirmou.

Diretora de Assistência Especializada da Fundação Leão XIII, Ana Silvia Furtado Vasconcelos lembrou as dificuldades econômicas pelas quais passa o Estado do Rio de Janeiro, afirmando que os problemas enfrentados pelo governo acabam afetando os idosos.

“Os estigmas sobre a terceira idade causam muitos problemas para os idosos. Seria ideal que a gente pudesse abrir mais instituições e estender os direitos, mas a crise econômica do Rio afeta essas propostas. Sem verba para inaugurar e manter centros de acolhimento, fica complicado para que a gente ofereça ao idoso a atenção que ele merece”, ressaltou.

Outra palestrante que destacou a importância dos abrigos e instituições de acolhimento foi a médica Germana Perissé, da Área Técnica de Saúde da Pessoa Idosa da Secretaria Municipal de Saúde. De acordo com ela, é preciso muita atenção com as instituições pois, para muitos idosos, esses locais são tudo o que resta para eles.

“É preciso muito cuidado e eficiência nos trabalhos relacionados aos institutos de abrigo. Para muitas pessoas de idade, essas casas se tornam as residências delas, é lá que elas irão passar o resto de suas vidas, e por isso precisam ser bem atendidas”, afirmou a palestrante.

JGP/AB

Foto: Antonio Batalha/TJRJ